Como o Marketing de Influência impacta na sua jornada de consumo?

A partir do momento que o marketing de influência entra no funil de vendas, ele passa a ocupar um espaço que antes era dado apenas às pessoas

O Marketing de Influênciaapesar de ter sido impulsionado em níveis nunca vistos durante a pandemia, não é uma novidade.
Há pelo menos dez anos, os criadores de conteúdo já vêm fazendo parte da nossa rotina, seja no consumo de conteúdos especializados, ou no momento de conhecer ou estudar um produto ou serviço de nosso interesse.

No começo daquilo que veio a se tornar o influencer marketing que conhecemos hoje, os criadores de conteúdo postavam em seus blogs resenhas de produtos que compravam e, por vezes, recebiam press kits das marcas, para apresentar novos itens ao público.
A dinâmica mudou, e os criadores de conteúdo passaram a ocupar mais e mais espaços dentro do digital, tornando-se verdadeiros profissionais de marketing e comunicação.

Dessa forma, as marcas, que querem usar da visibilidade e credibilidade desses creators, precisam remunerá-los não apenas com “recebidos”, mas com dinheiro de verdade, porque não dá pra pagar boleto com um kit de skin care, não é verdade?
Mas, você sabe o porquê de tantas marcas desejarem trabalhar com criadores de conteúdo? Sabe de que forma a imagem e mensagem gerada por esses creators impacta na nossa jornada de consumo?
Então, vem comigo!

Opiniões importam MUITO na hora da decisão de compra
A partir do momento que o marketing de influência entra no funil de vendas, ele passa a ocupar um espaço que antes era dado apenas às pessoas: as indicações que nós fazemos.

Ele não substitui, mas abre mais espaço para maior digitalização no processo de indicação entre pessoas.
A credibilidade que dávamos aos amigos agora também damos aos influenciadores. Passamos a considerar essas pessoas e suas experiências nas nossas jornadas de compra.
Hoje a gente caminha para um novo espaço para além das indicações. O marketing de influência entra na pesquisa, no conteúdo, na curadoria.
O público entra na internet e vê resenhas sobre produtos específicos, e avalia, através das experiências de criadores de conteúdo, se aquele produto é o que ele procura, se faz sentido para a experiência que ele deseja.

São dois fatores primordiais, que farão com que o público opte por este ou aquele produto, de marca x ou y:
1. identificação do público com o conteúdo
2. identificação do público com o criador de conteúdo
Quais resultados o marketing de influência pode impactar?
Em primeiro lugar, é necessário que o público goste e acredite em determinado criador de conteúdo. Somente assim, o criador consegue agregar maior valor às marcas com as quais trabalha.

Se o criador de conteúdo consegue transparecer credibilidade e gerar conexões verdadeiras com seu público, ele será capaz de transformar o seu público em uma comunidade.
Como consequência, ao falar sobre uma marca, esse criador de conteúdo pode sim trazer impacto ao faturamento daquela marca, uma vez que, com sua comunidade engajada, o criador consegue atuar em campanhas de conversão, fidelização e prospecção de novos públicos.

Um estudo realizado pelo Facebook demonstrou que as campanhas feitas com influenciadores na rede social atingiram 80% de probabilidade de conversão de compras.
Na Índia, por exemplo, quase dois terços dos usuários de redes sociais seguem algum influenciador, enquanto que pouco mais de 20% seguem celebridades.

E aí, ainda tem dúvidas se vale a pena investir no marketing de influência para se aproximar do seu público-alvo?
O que o marketing de influência tem para ensinar sobre customer experience?
Se antes as marcas contavam exclusivamente com a visibilidade dos criadores de conteúdo, agora elas incluem também o consumidor em suas campanhas

O isolamento social dos últimos anos acelerou o processo de digitalização de negócios, que puderam contar com a ajuda do marketing de influência para melhorar sua presença no digital.
Através dos creators as marcas desenvolveram campanhas focadas em vendas, fidelização, awareness, entre outros interesses, além de criarem seus próprios conteúdos para seus perfis profissionais.

Somos impactados diariamente por ações e narrativas, que estimulam o nosso interesse por determinado assunto, produto, serviço ou marca. Mas a verdade é que o relacionamento entre marca e cliente é e pode ser muito mais que isso.

O consumidor como parte da estratégia
Além de todo o conteúdo de marca e as ações com influenciadores, as marcas passaram a desenvolver estratégias que envolvessem outros atores tão importantes e tão presentes nas redes sociais quanto os criadores de conteúdo: o público que os segue.

As marcas começaram a enxergar seus consumidores como uma comunidade, inserindo-os em seus projetos e ainda contando com o CGU, o conteúdo gerado pelo usuário, para impulsionar as ações de divulgação.
Se antes as marcas contavam exclusivamente com a visibilidade e credibilidade das celebridades e criadores de conteúdo em suas campanhas, agora elas incluem também o consumidor final.

O consumidor deixou de ser somente o objetivo da campanha, e passou então a integrá-la, genuinamente.
E quando falamos em genuinidade, não é por menos: o público que é incluido nas campanhas e geram conteúdo para as marcas o fazem porque tem algo a dizer, porque querem fazer parte disso.

O feedback oferecido por um consumidor, que não está sendo remunerado pela marca para falar sobre ela, vem acompanhado de sinceridade e experiência de uso.
Um exemplo disso no Brasil são as ações de lançamento da O Boticário, que libera algumas unidades de produtos em lançamento, gratuitamente, para as consumidoras, gerando ainda uma expectativa sobre aquelas que não tiveram acesso ao mimo.

Que customer não gosta de se sentir exclusivo, ou ter acesso em primeira mão a produtos de marcas das quais são fãs?
Como efeito, o público compartilha em suas redes sociais a experiência, e incentiva sua rede de amigos e seguidores a buscarem o mesmo.

A pesquisa Cesar Reports 2021 apontou que 75% das empresas entrevistadas afirmaram que o sucesso da marca e sua influência tiveram como fator determinante o aval dos clientes, os chamados advogados de marca.

O que as marcas precisam ter em mente é que não basta contar com o endosso gerado pelo consumidor ao entrar em contato com o produto. A experiência do cliente com a marca deve ser positiva em todos os aspectos.
• Na otimização de ferramentas de automatização de atendimento e vendas
• Na solução de problemas apresentados pelo público, seja no site, no atendimento presencial ou com os produtos em si
• Na qualidade do produto que o cliente recebe, e ainda, na experiência do unboxing: o cuidado com a entrega e com a embalagem estimula o consumidor a gerar ainda mais conteúdo a favor da marca.

Quais experiências a sua marca tem a oferecer para o seu cliente? Sua entrega é instagramável? Faça bem feito, para que eles sintam vontade de compartilhar com outras pessoas, mas também porque esse é um compromisso que a sua marca precisa ter com o consumidor.

Raphael Dagaz – CEO da Dagaz Influencer
Assessoria de Imprensa
Alma Agência

Source link

Amazon Coaching Grátis

Venda 25K Dólares com apenas um Produto no Amazon.

Artigos Relacionados

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

oito − sete =

- Ana Pereira -spot_img

Últimos Artigos